quarta-feira, 21 de julho de 2010

Leão: a chama da autoconsciência

Ricardo Georgini
Leão é um signo intimamente relacionado à humanidade. A energia deste quinto signo do Zodíaco estimula a autoconsciência — a grande característica que faz de nós seres humanos. De 22 de julho a 22 de agosto deste ano, o Sol estará alinhado com Leão, avivando a sagrada chama da autoconsciência em toda a humanidade.
A autoconsciência é o que distingue o humano do animal. O animal está consciente do que se encontra ao seu redor, mas só o ser humano pode, além disto, estar consciente também de si próprio, o sujeito consciente. Assim, o animal simplesmente vê, ouve, sente, enquanto o ser humano não apenas vê, mas sabe que vê; não apenas sente e pensa, mas sabe que sente e pensa; e não apenas sabe, mas sabe que sabe.
Na maioria de nós, a autoconsciência permanece num estado brando, e ainda há muito a ser feito para desenvolvê-la plenamente. Grande parte do aperfeiçoamento humano tem a ver, especialmente, com este maior desenvolvimento da autoconsciência. A influência de Leão contribui para isto, como que soprando a brasa da autoconsciência, para que se intensifique e cresça — queimando e transformando, aquecendo e acalentando, iluminando e esclarecendo.
Faz parte do nosso potencial, como seres autoconscientes, perceber não apenas o que se passa ao nosso redor, mas também o que se passa dentro de nós mesmos. Contudo, habitualmente, a nossa atenção fica quase totalmente voltada para as coisas externas a nós, e temos uma percepção apenas vaga do nosso corpo e dos sentimentos e pensamentos que nos ocupam. No entanto, o tempo todo, são os nossos pensamentos, emoções e corpo que determinam as nossas experiências na vida, e não tanto as circunstâncias externas. Por isso, cultivar e exercitar a habilidade de auto-observação é um requisito fundamental para estarmos mais conscientes na vida, compreendendo apropriadamente as nossas experiências e podendo escolher como nos conduzir.
O desenvolvimento da autoconsciência nos leva a descobrir-nos como o sujeito de nossa própria vida e história. O animal reage automaticamente aos estímulos externos, sem reflexão ou escolha. O ser humano pode ponderar, pode valer-se de sua experiência, pode conter-se ou empenhar-se e, assim, pode escolher como responder às suas circunstâncias. Portanto, o animal é sempre aquilo que o seu ambiente faz dele, mas o ser humano pode vir a ser o que ele mesmo fizer de si. À medida que compreendemos isso, desenvolvemos um correto senso de responsabilidade e nos apropriamos mais plenamente de todo o nosso potencial.
A autoconsciência leva também ao senso de individualidade. Fortalece internamente o indivíduo, de modo a poder apoiar-se em si mesmo, sem depender indevidamente dos demais. Permite ao indivíduo conhecer-se a si mesmo e saber aquilo que ele tem de próprio e único, aquilo que é a sua contribuição específica e original à coletividade. Cada indivíduo é único, e o seu valor, portanto, é inestimável. Se apenas um indivíduo não existisse, o Universo já não seria o mesmo. Cada indivíduo faz a diferença. A autoconsciência lhe permite fazer a diferença conscientemente, e portanto, mais potentemente.
A cada mês de Leão, anualmente, temos uma especial oportunidade de fortalecer em nosso interior a chama da autoconsciência e nos tornarmos cada vez mais plenamente Humanos.
Ricardo A. Georgini
ricardogeorgini@yahoo.com.br

sábado, 17 de julho de 2010

O reflexo do Sol na Lua Cheia

David Castro M.

Segundo Alice Bailey, em toda forma Lunar se encontra oculto o segredo de toda experiência passada através da qual temos que chegar à devida expressão.
Seguindo a linha desta reflexão, pode-se pensar que toda lua cheia é uma oportunidade para poder aplicar a sabedoria da luz solar ao nosso corpo de expressão, e assim adquirir harmonia e mudanças.
Assim pois, a intenção deste artigo é saber dar com o que implica uma relação deste tipo, isto é, a Luz ilumina a Forma, e esta deveria saber refletir, da sua posição, a sabedoria que recebe.
Portanto, um signo, o solar, é o que dá energia pura, e o outro, o lunar, a recebe e, do seu lugar, deve saber “refletir” o recebido com força construtiva e expressiva.
Esta relação se dá em sua plenitude na Lua cheia, porque aí tudo está iluminado, e todos os segredos podem ser ventilados.

Relação:
Sol em Áries – Lua em Libra (plena de Áries)

A força e capacidade de vontade de Áries nos dá a oportunidade de saber harmonizar e equilibrar nosso corpo de expressão, Libra. Em todo o Caminho do meio, se esconde a vontade de segui-lo. 
Sol em Touro – Lua em Escorpião (plena de Touro)
A nobreza, sabedoria e sensualidade - força do Touro, nos ensinam a encontrar o desejo correto, em meio às intensas e perturbadoras correntes do desejo “indevido” de Escorpião. Nesta intensa relação o desejo se converte em necessidade, e esta nos leva a viver a vida com útil intensidade. 
Sol em Gêmeos – Lua em Sagitário (plena de Gêmeos)
A franqueza e agilidade comunicativa de Gêmeos nos levam a descobrir em nossa forma de expressão, a devoção e meta que mais nos convém, Sagitário. A comunicação e sincera curiosidade anulam todo tipo de fanatismo. 
Sol em Câncer – Lua em Capricórnio (plena de Câncer)
A sensibilidade intuitiva de Câncer, é a grande oportunidade para saber revestir nosso corpo de expressão, em uma realidade concreta que no seja excessivamente fria, Capricórnio.
O iniciado deve antepor o Amor à realização do Plano. 
Sol em Leo – Lua em Aquário (plena de Leo)
A generosa Luz da autoconsciência, Leo, nos oferece a capacidade de mostrar serviço social efetivo, Aquário, sem perder nossa identidade. Como disse Jesus: “de que nos serve ganhar o mundo se com isto perdemos nossa Alma”.
No Amor do Coração se encontra o princípio de um verdadeiro serviço. 
Sol em Virgem – Lua em Peixes (plena de Virgem)
Na capacidade de cuidarmos e nutrirmos a nós mesmos, Virgem, está a oportunidade de expressar Amor para os demais, Peixes.
Não é o outro o que melhor nos conhece, mas a nossa “Mãe” e a pureza da intenção honesta. 
Sol em Libra – Lua em Áries (plena de Libra)
No saber estar em harmonia, Libra, se encontra a oportunidade de encontrar a inspiração e a força, Áries, que nos fará avançar.
Saturno está exaltado em Libra, porque é neste signo, onde a Alma decide “parar”, daqui não me moverei, não penso em repetir mas, somente em avançar e (avançarei) quando estiver seguro do “inspirado”.
Presença ativa, é o dom desta relação. 
Sol em Escorpião – Lua em Touro (plena de Escorpião)
Na intensidade e sinceridade de um “desejo”, Escorpião, se assenta a realidade da natureza, Touro. Na Luz de Escorpião refletida, temos a oportunidade de expressar através da natureza, nossa realidade mas profunda: o porque de uma reencarnação. 
Sol em Sagitário – Lua em Gêmeos (plena de Sagitário)
Na poderosa energia daquele que conhece para onde se dirige, Sagitário, temos a oportunidade de ser amorosos e comunicativos, Gêmeos, como serviço.
A profunda capacidade de Gêmeos de se relacionar, necessita de uma ancoragem interna, que o sustente e lhe dê direção. 
Sol em Capricórnio – Lua em Câncer (plena de Capricórnio)
A concreta e real captação da realidade, Capricórnio, pode mostrar ao sensível Câncer, que a susceptibilidade e excessiva sensibilidade são espelhismos do corpo astral.
O subjetivo deve sempre mostrar sua objetividade, mas é “imaginação indevida” ou nociva.  
Sol em Aquário – Lua em Leão (plena de Aquário)
A intuição e capacidade sintética de Aquário, mostra ao Leão o caminho para que sua Luz não fique autoconcentrada em si mesma. Expressar generosamente nossos talentos é algo que necessariamente vai ligado à capacidade de compreender o outro em sua justa medida, água de vida.
Sol em Peixes – Lua em Virgo (plena de Peixes)
A empática imaginação criadora, Peixes, nos oferece a oportunidade de mostrar nosso interior tão bem “cuidado”, Virgem. Não é o medo de perder a pureza que nos mantém no caminho correto, mas saber vê-la nos demais. Ser sensível ao outro é a expressão da nossa realidade interna.
Na dualidade de conceitos e energias está o segredo do equilíbrio, hoje pode pensar uma coisa, talvez amanhã outra bem diferente; qual é a correta?, nos perguntaremos...a relação dá duas em uma.
Luz