sábado, 28 de dezembro de 2013

Regente esotérico CAPRICORNIO







Capricórnio

Capricórnio é como uma grande árvore velha e solitária, mas de grande nobreza e majestade. A solidão da grande árvore é necessária para que ela possa ser observada e expressa em plenitude. Ele fez um lugar para si, através do tempo, a constância e o respeito, um lugar onde a pessoa se sente acolhida e, na solidão interna, é possível pressentir a grandeza do seu amor.

A energia de Capricórnio nos mostra o poder que a nobreza da terra oculta. Em Touro, o desejo iluminado dirige a consciência para o coração da matéria, Virgem, onde o amor é nutrido para que, finalmente, a sua grandeza possa ser materializada em Capricórnio.

A aquisição da autoconsciência e o intenso poder que ela expressa são conquistados através de Leão-Escorpião, mas a culminação desta aquisição, o indivíduo único capaz de materializar esta brilhante autoconsciência como propósito espiritual e serviço humanitário, alcança-se em Capricórnio.







Saturno regente exotérico e esotérico de Capricornio


A palavra-chave de Capricórnio é ambição, e uma palavra muito importante em relação a Saturno é dificuldade. Podemos então imaginar o poder que estas duas podem gerar contra forças relacionadas entre si. O dom do capricorniano é a sua capacidade de submeter a matéria através desta dualidade.


Saturno é o planeta que marca o grau de evolução em um horóscopo. As realidades internas e externas que seus trânsitos e aspectos transmitem em uma carta natal nos dão muita informação a respeito. Ele é o círculo intransponível, através do qual se conquista a disciplina e a consequente realização da ambição, tanto espiritual como material.

No caso de uma ambição egoísta, Capricórnio consegue vencer através da destruição dos impedimentos, muitas vezes mostrados como inimigos objetivos (externos) a derrotar sem levar em conta as consequências. A disciplina e o poder que esconde referida ambição está inscrita na própria raiz do nativo, controlando mente, emoções e cérebro (aspecto físico) em uma só direção. Sem escrúpulos, a ambição egoísta projeta, através da dificuldade que Saturno traz, um inimigo em seu próprio ambiente, que há que destruir ou dominar.

Uma ambição espiritual ou altruísta é aquela que compreende que a dificuldade que Saturno transmite não é somente seu resultado externo, é também a oportunidade de poder se interiorizar, refletir e praticar a ação correta.
Uma consciência assim reconhece seu poder “pecador” e, em tal reconhecimento, é capaz de “parar”: deixar de se repetir ou de tropeçar vezes seguidas na mesma pedra. Tal “parar” é um atitude basicamente mental, que permite reconhecer a nova energia gerada, graças à decisão de não atuar de forma compulsivo-reativa. Atingido este ponto, a mente, graças à Luz da Consciência, está aprendendo a subjetivar a dificuldade, aparecendo com isso um novo sentido da realidade, capaz de reconhecer que a única ambição válida é ser construtivo por meio do serviço altruísta: o dom de Aquário aparece no horizonte.



Darma versus Carma

Saturno é o representante máximo do Carma e seus impedimentos podem gerar autodefesas, medos, rancores e atitudes compensatórias muito destrutivas e geradoras de mau carma. Mas em Saturno existe um Mestre do “simples”, um trampolim que nos aproxima do poder realizador que escondem as palavras: inteligência prática. A atitude positiva da aceitação da dificuldade. A oportunidade para a constante atenção, que esconde “o segredo” do dinâmico e alegre saber estar. O Darma que destrói o Carma.




A frase para a Alma:

Eu estou imerso na luz suprema e a esta luz dou as costas”


Aqui a luz é a mente guiada pela Alma (consciência iluminada), mas é uma mente imersa em um lugar “incrível”, divino, um lugar capaz de revitalizá-la e lhe dar um “novo sentido” que lhe permita, ao retornar, oferecer uma nova imagem plena de Luz e de Propósito renovado.

Dar as costas é algo natural, sempre há um ponto do qual não se pode passar, e então nós damos a volta, mas satisfeitos, e com as baterias renovadas pelo fato de ter estado ali, no limite, no autoesquecimento, no claro desapego que nos mostra uma nova realidade ou propósito mas próximo da nossa verdade.










RAIOS:

O 1º Raio através do poder do próprio signo de destruir e vencer obstáculos de forma contundente.

O 3º Raio através da regência de Saturno, se mostra como a capacidade de materializar de forma inteligente e prática. A matéria se estrutura, mais tarde realiza, depois se cristaliza e, finalmente, morre. Este processo é regido por Saturno e mostra seu máximo poder em Capricórnio.

O 5º Raio se mostra através de Vênus. Quando a consciência, graças ao equilíbrio inteligente da matéria, alcança um alto nível, pode mostrar relações plenas de harmonia e amor. Vênus está bem situado neste signo, tal como Saturno (3R) está em Libra.

O 7º Raio também está presente em Capricórnio com seu poder de materializar no mais denso da matéria.


Não há raios pares ou raios de Amor em Capricórnio, somente raios ímpares de Vontade e Inteligência. Netuno (6º Raio) e Júpiter (2º Raio) estão em queda neste signo. A necessária solidão-concentrada do que busca ou ambiciona não permite entretenimentos “amorosos”, mas é evidente que uma vez encontrado o buscado, em seu Caminho de retorno, o buscador é capaz de compartilhar com muito Amor.




David C.M. ( logos.astrologiaesoterica@gmail.com )

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

O regente esotérico SAGITÁRIO




Sagitário

Em Escorpião o ser humano aprende, através da auto-observação, o significado do apego e do desapego. A concentração da mente aplicada ao conflito. Intensidade emocional.

Em Sagitário este conflito fica longe, e graças a isto o sagitariano se sente livre, e com o poder do pensamento livre “cavalga” em prol de sua grande verdade. A liberdade da mente aplicada a um objetivo. Poder criativo dirigido.

O símbolo deste signo nos mostra um cavalo-homem com um arco que aponta com a flecha. Os poderes básicos da natureza (cavalo) estão unidos com o poder do pensamento (homem) e sua capacidade de intenção criativa (arco), inspirados pela intuição ou objetivo (flecha dirigida). A aspiração valente do todo para a “visão”.

O otimismo sempre se esconde por trás daquele que tem o objetivo claro. Não há dúvidas nem temores, e sim uma forte intenção de utilizar e orientar todas as forças implicadas em prol dos “desejado - pensado”.

A casa IX é a casa de Sagitário, o lugar divino, onde a Mente de Deus se faz presente no Homem. Isto pode ocorrer através de uma viagem evocadora, ou talvez com a leitura de um livro inspirador, ou através da capacidade de mostrar caráter espiritual, expansivo e profundo. A casa IX é a flecha do horóscopo, o lugar onde o conhecimento divino inspira a conquista da união da dualidade Homem Espiritual – Homem Animal.

O sentido da Justiça Divina é o dom do Centauro que dirige seus pensamentos para o céu, sem se esquecer de que seus pés estão no solo.




Regentes:

Júpiter: o Amor, a qualidade que expande o universo e, ao mesmo tempo, o unifica. A sabedoria que, graças à sua identificação compreensiva com o Amor, une o divino com o terreno. Júpiter é o regente exotérico de Sagitário, porque todo ser humano (qualquer que seja o seu grau de evolução) é obrigado a unificar seus “desejos” principais com as capacidades da sua natureza herdada, e é possível alcançar esta união, graças ao grande coração que Júpiter esconde.

A orientação para “um lugar” onde se alcança a unificação desejada está sempre presente em Sagitário. O lugar dependerá do tipo de consciência que motiva o objetivo. Uma pessoa terá a necessidade de alcançar certa união através de experiências sensuais, e outra talvez deseje conquistas intelectuais ou a obtenção de percepções espirituais…. não faz diferença, o importante é a confiança que Júpiter concede, já que O une através “da verdade de um desejo”. Em sua qualidade, o poder do pensamento está perto do coração, e esta proximidade produz realidades.




Terra

Para toda consciência com uma orientação mais básica ou materialista, seus desejos estarão dirigidos à obtenção de experiências físicas - emocionais – mentais, unindo e aperfeiçoando com isso os diferentes aspectos da própria personalidade. Com esta atitude, a relação com o entorno do planeta Terra é antes interessada, pouco sensível ao ambiente, atitude egocêntrica.

Para uma consciência sagitariana mais orientada para os mundos subjetivos ou espirituais, sua aspiração, (desejo sublimado pelo poder da Flecha), é poder ter uma experiência equilibrada entre seu mundo subjetivo e o mundo objetivo terreno. Esta atitude demanda um grande respeito pelas leis que regem o planeta Terra, daí que este seja seu regente esotérico. A primeira coisa que um bom Sagitário deve aprender é que o poder que lhe outorgam sua liberdade de pensamento, intuição e visão, só poderá ser manifestado de forma satisfatória, se levar em conta as leis de expressão do lugar da experiência.


A TERRA é um planeta que tem a qualidade do III Raio (inteligência prática – matéria adaptável), portanto, todo ser vivo que nela habita deve evoluir respeitando referida qualidade. O mundo animal o faz através do instinto que o une à manada e, nas proximidades do homem, o faz obedecendo a ele com a devoção de um animal doméstico. O mundo mineral, adaptando sua rudeza inerte para que acabe expressando a preciosa geometria irradiante. O vegetal, através da adaptação sábia e generosa ao entorno, gerando harmonia e beleza. O reino humano, através da aplicação prática, do conhecimento que relaciona o divino com o material. Todos eles são exemplos de atitudes com “senso comum”, a linha de menor resistência, para expressar com naturalidade no planeta Terra o destino que é próprio a cada reino.

Na psicologia de uma consciência que avança no caminho, o livre pensamento tem um grande poder, que pode ser ofensivo e destrutivo e, para que isto não aconteça, esta consciência deve praticar a inofensividade de pensamentos, palavras e atos. Silêncio mental, liberdade responsável, compreensão do ambiente, atitudes descentralizadas, autoesquecimento, alegria “natural” ou condicionada pela Alma, ausência de crítica desnecessária, controle da palavra, discriminação entre alma e personalidade; são atitudes com senso comum (inteligentes e práticas), que relacionam com sabedoria o poder do mundo espiritual com o receptivo entorno terreno. Sem ser ofensivas, estas atitudes, aplicadas ao lugar da experiência, são criadoras de oportunidades de reflexão e crescimento tanto para a própria pessoa como para os demais.


O Homem/Mulher neste planeta estão estimulados pela necessidade de solucionar nosso conflito entro o divino e o material; para isso aprendemos a utilizar o poder da mente, através do conhecimento aplicado de forma inteligente e prática, conquistando assim a experiência que, com o tempo, nos traz a expansão da consciência.






Frase para a Alma:

Eu vejo a meta, Eu atinjo esta meta e, então, vejo outra”


Nesta frase fica claro, a confiança e o poder de expansão deste signo. Mas sem esquecer que para avançar para o que está longe, primeiro é preciso proteger o que está mais perto.



                           A personalidade purificada, graças aos conselhos (metas) da Alma, é cada vez menos exigente para suas coisas, demonstrando com isso conhecimento inteligente ….

                           .... pouco a pouco ....

                                                  …. Sagitário é um todo, o Cavaleiro com cavalo Branco que percorre os caminhos expressando a justiça do Seu Amor.







Astrologia

Talvez, para entender melhor o que foi dito com relação à função do planeta Terra, seria aconselhável raciocinar de uma vertente puramente astrológica.

A Terra, em um horóscopo, está situada no signo oposto ao signo solar, e todo oposto no zodíaco é seu complementar. Como sabemos, o Sol é símbolo das tendências da personalidade, se entendemos que a Terra é o lugar da experiência, o lugar onde podemos demonstrar conhecimento inteligente e prático, podemos pensar então que o signo onde ela (a Terra) se encontra, é o complemento ideal para as nossas tendências pessoais.

No conhecimento da qualidade do signo onde está a Terra reside a oportunidade de purificar a qualidade pessoal - solar. Portanto, se queremos enriquecer e tornar as nossas tendências pessoais do signo solar mais efetivas, devemos complementá-las com os dons do seu signo oposto.

Este exercício reflexivo que pretende unir o signo solar (personalidade), com o signo complementar onde está a Terra, (lugar de experiência), é um exercício que adquire uma dimensão mais importante para uma carta natal com ascendente em Sagitário, já que para referido horóscopo seu regente é a Terra, o planeta através do qual a Alma sagitariana pode alcançar maior integração.




Raios

Em Sagitário:
  • o Raio II de Amor Sabedoria é a sua capacidade de unir de forma expansiva e, ao mesmo tempo, incluente. A sabedoria do que ama graças à união da mente com o coração.
  • o Raio IV de Harmonia através do Conflito são as intensas inércias que gera o fato de ter o poder de unir as diferenças entre a natureza animal humana e divina. A solução deste conflito se expressa em harmonia e beleza.
  • o Raio VI de Devoção e Ideal no fato de que todo objetivo sagitariano é tomado e lutado do profundo sentimento de quem crê em uma orientação justa, merecida. O cavalo ou forma Lunar emotiva é ativado por referido objetivo. Marte está muito presente no centauro purificado. 

     
a cruz da materia dirigida




David C.M. (logos.astrologiaesoterica@gmail.com)

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

O regente esotérico de Escorpião







 
ESCORPIÃO

Na roda zodiacal, Escorpião marca o ponto cuja intensidade é experiência no plano físico, o lugar onde o conflito é vencido através da luta do guerreiro.

O escorpião é portador de veneno: desilusão, luta, “morte”, desapego, transformação são conceitos-chave para seus propósitos.

Em uma consciência pouco espiritual, o veneno é sintoma de autocontrole mal intencionado. Seu objetivo é alimentar sentimentos e ideias para subjugar o objeto desejado através da geração de apego e perturbação emocional-mental e física. Com esta atitude, a ilusão ou espelhismo estão servidos, o problema é que a destruição de referido engano comporta a renúncia ao desejo que o mesmo gera. “O peixe morde a própria cauda”.

Em Escorpião evoluído, o veneno é sintoma da grande capacidade que tem este signo de “matar” o desejo egoísta através da descoberta do poder da Alma: o surgimento de uma nova energia, que precipita a realidade de um novo caminho.

Escorpião nos ensina a Verdade através da experiência da mentira. Muitas vezes aquilo que é uma “verdade” se converte em uma fonte de conflitos, e é o poder de enfrentar isto que permite, ao sujeito espiritual de escorpião, a capacidade de dar um salto para o “desconhecido”. O lugar onde os valores materiais e intelectuais perdem poder, e onde os conflitos devem ser passados para o mundo subjetivo para, a partir dali, serem redirecionados pelos valores espirituais, e solucionados pela luz da intuição e a cada vez mais presente realidade da Alma.

Na qualidade do Escorpião aparece o significado do filho pródigo: o humilde retorno do filho que, pleno de “cicatrizes” (desenganos), anseia por recuperar a bondade do pai.






Tipos de conflitos

A fonte das dificuldades é tríplice (mental-emocional-material) e se evidencia sempre no plano físico da experiência. Para esclarecer mais sobre estes conflitos, juntamos um esquema de Alice Bailey, muito orientador:

Conflitos relacionados com o mundo material:

1- Sexo - a relação entre os pares de opostos. Estes podem ser utilizados em  forma egoísta ou fusionados divinamente.
2- Bem-estar físico - condições de vida que foram apropriadas egoisticamente.
3- Dinheiro – retido egoisticamente


Conflitos relacionados com o mundo emocional:

1- Medo - que condiciona toda atividade
2- Ódio - fator que condiciona as relações.
3- Ambição – que condiciona os objetivos.


Conflitos relacionados com o mundo mental:

1- Orgulho - satisfação intelectual, convertendo a mente em uma barreira que  impede que a alma controle.
2- Separatividade - atitude isolada, convertendo a mente em uma barreira que impede as corretas relações grupais
3- Crueldade – se sentir satisfeito com os métodos da personalidade, convertendo a mente em um instrumento do sentido de poder.



Quando estes defeitos forem reconhecidos e superados, o resultado será duplo: o estabelecimento das corretas relações com a alma e com o ambiente. Esses resultados são o objetivo de todas as provas em Escorpião.

                                                                                                                                Alice Bailey (AE)










Marte


O regente exotérico e esotérico de Escorpião é Marte, o planeta de cor vermelha. Paixão onde o guerreiro faz correr o sangue, e o sexo a vitaliza.

Marte é a atividade física positiva, a experiência tangível e objetiva através dos cinco sentidos. Marte é a devoção ativa e muitas vezes agressiva pelo desejado.


Exotericamente um Marte (regido por uma consciência egoísta) se expressa com uma grande capacidade de autoconcentração separatista, para assim poder dirigir sua atenção para a realização do desejado.
Em Áries, onde Marte também rege, o desejo egoísta é cumprido através da agressividade mental, expressada como “eu quero”.
Em Escorpião, por ser um signo de água, a atividade de um Marte egoísta é mais psíquica que mental. Neste caso há uma atitude “vampiresca”, capaz de manipular a substância própria e alheia para retroalimentar uma contraforça “venenosamente” ativa que magnetizará o desejado, mais através do engano que da imposição.


Esotericamente, Marte Espiritual segue tendo a mesmas capacidades, (aplicação ativa, experiência, realização), que um Marte egoísta, mas, neste caso, impulsionadas pela atitude do observador em contradição com a do experimentador. Esta atitude permite o crescimento do mundo subjetivo e imaginativo do sujeito (Netuno), e também aumenta a honestidade da sua luta, sem abandonar com isso o poderoso agarramento à realidade física da experiência. A contraposição desta dualidade (experimentar - observar) permite reconhecer a energia da Alma frente à força da personalidade, assim o triunfo é patente e o engano deixa de exercer poder.






Frase para a Alma:



Eu sou um guerreiro e da batalha saio triunfante”


Na clareza desta frase podemos observar que Escorpião sabe que há um conflito (dualidade), no qual ele é um guerreiro, (consciência espiritual aplicada de forma ativa), e que em sua luta, (experiência), está inscrito o germe do triunfo, (Conquista da Unidade ou Consciência da Alma).

Prova - experiência - triunfo.








Raios

No campo de batalha de Escorpião, a intensa atividade marcial do VI Raio, deve se mesclar com a subjetividade e imaginação netuniana, também do VI Raio. Mas tarde, quando através do conflito, esta integração vai sendo alcançada, será possível intuir a harmonia do IV Raio através de Mercúrio.
 

Marte (a rebeldia) deve aprender a humildade sensível e imaginativa de Netuno, (a alma), para assim poder intuir (Mercúrio) o tipo de harmonia que o aproximará do objetivo sagitariano, ou Vontade do Pai.



David C.M.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

O regente esotérico de LIBRA









LIBRA
Sabemos que Libra transmite o equilíbrio, o dom de unir o de cima com o de baixo. Em Áries o poder criador faz ato de presença; em Libra, referido poder deve se equilibrar com o ambiente onde se manifestou. De fato, Libra rege a casa VII, onde as relações são estabelecidas com os demais. A casa I afirma “eu sou”, a casa VII: “tu és”; nada tem sentido se não sabemos ver a razão de ser dos nossos irmãos, e nesta compreensão dos outros, nosso eu sou é equilibrado.

Subjetivamente, a casa VII é a “pequena voz” que responde às perguntas “e Tu o que farias? -- e Tu o que crês?” … enriquecendo o nosso impulso mais profundo. Esta pequena voz é o complemento que nos é mostrado através da dualidade, e a riqueza que gera a correta inter-relação de duas qualidades. Segundo o ditado hindu: “Deus vive em ti como Tu”.



Regentes:

O regente exotérico de Libra é Vênus, o planeta da beleza, que através do V Raio nos ensina a raciocinar corretamente, e com isso a ser capazes de concretizar ou fazer do que foi pensado uma realidade.

Em pessoas pouco evoluídas, em que a consciência está polarizada excessivamente nas emoções básicas, a qualidade de Libra também mostra beleza, mas muito condicionada por desejos personalistas de índole egoísta. Diríamos que por trás do raciocínio mostrado por uma consciência pouco espiritual, esconde-se uma intenção pouco inclusiva, mas de fato nesta vida tudo pertence a Deus, daí que tudo tem sua razão de ser, e que todo tipo de nível evolutivo tem o direito de expressar sua Beleza. Assim, quando uma consciência humana não encontra a correta intenção para conquistar a Harmonia, esta consciência deve começar a pensar que talvez seja sua obrigação aprender a subir um degrau a mais em sua forma de raciocinar. Este primeiro passo necessariamente dará mais poder à mente que à emoção e ao corpo físico, e então, Vênus, como planeta sagrado, também saberá conduzir a referida consciência para um novo raciocínio, mas em consonância com a nova necessidade.

Na psicologia humana, as dualidades e as dificuldades que elas geram nos são mostradas na consciência através da contraposição de conceitos como: físico - emoção, sentimento – mente, coração - espírito, pensamento – intuição, personalidade – alma ...; assim como, também, através das dúvidas que nos proporcionam as possíveis diferentes atitudes que podemos tomar, como: renunciar ou atuar, ser generoso com os demais ou aprender a ser o que é…; quando esta confusão nos invade, a dualidade dos conceitos e as possíveis diferentes opções de ação, passam a segundo plano, e o importante é saber mostrar equilíbrio, uma harmonia que una a etapa que deixamos para trás com a etapa onde queremos nos situar; e o maravilhoso de Vênus, neste signo de ar, é que ele sabe captar a intuição ou síntese que mais tarde derivará, com ajuda do regente esotérico, em uma realidade concreta.



Regente esotérico (URANO)

Uma vez alcançada a relação em nossa consciência destas dualidades através do poder de Vênus, a concreção no plano físico necessita de Urano: “o que revela o segredo”. E assim é, já que o equilíbrio destas contraforças mais sutis, que não têm por referência um desejo pessoal, mas sim a necessidade de alcançar harmonia e efetividade prática no dia a dia, só podem ser materializadas através das qualidades de Urano, o representante do VII R: a vitalidade sagrada, a organização mágica, o equilíbrio dos 6 no 7. Este planeta é o representante do VII Raio em nosso sistema solar, e sua qualidade oferece síntese no plano material, portanto é inclusivo, não descarta nada, e em sua dinâmica de expressão inter-relaciona e ordena os muitos matizes em jogo, oferecendo com isso uma positiva e real irradiação.

A qualidade que Urano entesoura é capaz de se expressar externamente em um todo harmonioso e radiante toda a energia que Vênus anteriormente unificou amorosamente na consciência mental. A objetividade de Vênus invoca Urano, e este, com seu poder dinâmico, revela o mistério, e nos mostra uma realidade até então desconhecida. Muitas vezes nos pode parecer que esta realidade é como uma surpresa, como a chegada de um raio, mas certamente que não é gratuita, e sim a expressão vital de um processo interno que demanda manifestação. Estes dois planetas, através de Libra, com sua constante “necessidade” de equilíbrio, podem alcançar o plano intuitivo e, em a mente, arredondar a necessidade, para depois expressá-la no plano físico como radiante vitalidade e poderosa vontade.



O processo libriano nos mostra que o equilíbrio não é alcançado através de uma mente concentrada em excesso (fogo), ou na negação ou exaltação dos sentimentos (água), ou na atividade do corpo físico (terra), mas através da clareza que nos traz o ir e vir do ar que, ao passar, tudo fica iluminado, como renovado, livre, de fácil respiro e com alegre caminhar: Intuição (ar).







As frases:

Para quem ainda não desenvolveu a consciência espiritual é “Que se faça uma escolha”, e fica claro nesta frase que, quando não há consciência espiritual, não pode haver inclusividade, e em toda escolha algo deve ser descartado. Aqui os matizes são mínimos, e “as coisas” ou são brancas ou negras.

A frase para a Alma:


Escolho o caminho que conduz entra as duas grandes linhas de força”



Maravilhosa frase que tranquiliza o coração de toda mente inquieta. A capacidade de andar em nosso passado e em nosso futuro com a atenção dirigida ao presente da realidade mais próxima. 












Trabalho através das dualidades do horóscopo

No círculo de uma carta natal, a consciência do ser que reencarna deve se situar no centro, e partir daí, ela deve exercer a observação ou meditação sobre os distintos “aspectos” que a rodeiam. Sua identificação deve ser com o todo e não com uma parte.

As energias (constelações), forças (planetas), e lugares de experiência (casas) que formam a mandala astrológica podem ser apresentados como dualidades enfrentadas que devem ser meditadas, dirigidas e equilibradas em prol do crescimento de que necessita. Para realizar referida meditação, sugerimos as seguintes possibilidades:


  • Signo ascendente (energia afim com a alma) Signo solar (afim com a personalidade)
  • Regente esotérico do ascendente (consciência subjetiva) Regente exotérico solar (consciência objetiva)
  • Casa do regente esotérico (lugar de expressão da alma) Casa do regente exotérico (lugar de expressão pessoal)
  • Casa I e seu Signo (“eu sou”) Signo e casa VII (“tu és”)






A qualidade fundamental de Libra

A energia que mais condiciona Libra é a do 3° Raio de Inteligência Prática, o que popularmente chamamos de bom senso ou de naturalidade das “coisas”. Nas qualidades deste raio residem as normas que regem a matéria, as leis ou equilíbrios que permitem sua expressão, daí que Saturno seja seu regente hierárquico e esteja exaltado neste signo. Saturno é o máximo portador da lei ou carma, a necessidade (redentora) pela qual a Alma deseja manifestar-se na matéria. Na verdade a dificuldade que propõe Saturno em todo horóscopo é a oportunidade para alcançar maior reajuste, equilíbrio e manifestação de uma lei superior.

Este 3º Raio de Inteligência Aplicada se manifesta em Libra através de Vênus ou o 5º Raio de Inteligência Concreta e de Urano ou o 7º Raio de Organização. Quer dizer a Lei na Matéria, Saturno ou Terceiro Raio, em Libra, se manifesta através da luz ou inteligência científica do Quinto Raio-Vênus organizada na matéria em forma vital-etérica através do Sétimo Raio-Urano.

Libra não é o único signo portador do 3º Raio de Inteligência Prática em nosso sistema, também são Câncer e Capricórnio, mas Ela expressa o ponto intermediário ou equilibrador dos outros dois. 






David C. M.  (logos.astrologiaesoterica@gmail.com)

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O regente esotérico de VIRGEM




VIRGEM

Virgem faz referência à pureza da Matéria, e à capacidade desta de responder ao impacto do Amor de Deus sobre Ela. A Virgem (mãe-matéria) é essencialmente receptiva e sua resposta sempre depende da consciência que a habita. O corpo nunca nos dará as costas, somos nós que descuidamos dele. É necessário ter cuidado com o corpo, porque em sua generosa receptividade está o trampolim para a correta atitude, o caráter purificado que mais tarde será a base para a expressão do Amor inclusivo ou princípio Crístico.

Como no caso de um brilhante ou pedra preciosa, para que a Alma possa se expressar em plenitude, necessita de um longo e lento processo de adaptação, no qual a Mãe-Matéria é seu guardião e, ao mesmo tempo, a substância que alimenta o caminho.



Mercúrio: “o filho da mente”

Mercúrio é o governante da mente concreta e abstrata. Virgem (a mãe) protege e nutre o crescimento de referida mente e, através do tempo, Mercúrio (o mensageiro dos deuses) aprende a relacionar seu habitáculo material com as mensagens divinas, dirigindo assim a mãe-matéria para a expressão do Amor Puro. Isto é ser inteligente: saber harmonizar a realidade material com a espiritual.

Virgem, através de uma consciência “egoísta” pode trazer fracassos que levam à introversão, pois este signo de terra não é impositivo e extrovertido como seu signo anterior (Leão), é bastante introvertido e com tendência a reanalisar em excesso os erros próprios ou alheios que referida consciência crê que impedem o triunfo. O excesso é um sintoma de egoísmo e é precisamente no “fracasso” que se torna introvertido e onde reside a oportunidade (para a consciência preparada) de conquistar a transmutação. A análise honesta e a aceitação do que isso implica e com o consequente silêncio mental, é a antessala da verdadeira criatividade.

A introversão em Virgem é uma tendência natural, sua polarização ou atenção da consciência se põe nos profundos e silenciosos processos físicos (terra) internos, onde as formas básicas (lunares) de determinada vida devem ser postas em harmonia com a nova consciência da Alma que surge em contraposição com as velhas forças da consciência pessoal.

Quando a energia de Virgem é utilizada por uma consciência “generosa”, Mercúrio oferece poder discriminador e intuitivo para que a Matéria ou Personalidade primária possa ser bem construída. A palavra-chave em Virgem evoluído é CONSTRUIR, e para isso Mercúrio é nutrido pela matéria mas, ao mesmo tempo, ele, é seu governante. A receptiva substância, o material básico para construir, está simbolizada pelo regente esotérico de Virgem: a Lua.



A Lua

“a vontade de Deus para a manifestação na forma”


A Lua, através de Virgem, é o aspecto mãe da divindade que nutre e protege o Cristo ou Amor interno, assim relacionando consciência e forma. Esta relação constrói o que chamamos centros de autoconsciência (Leão – luz própria), primeiro passo para entrar no processo que mais tarde expressará o serviço altruísta (Aquário) e o sacrifício amoroso (Peixes) de um Filho de Deus.

Em Virgem a Lua é o receptáculo “feminino” onde a relação espírito-matéria é desenvolvida sob as leis ("cuidados") da Mãe.

Quando o sujeito de Virgem (ascendente) é capaz de reconhecer em sua consciência a reação que produz o impacto das exigências da Alma em seus corpos lunares, (físico-emocional-mental inferior) e, com este reconhecimento, na calma e escura profundidade das sensações (Terra), consegue relacionar, através da Mente superior Mercurial, a vida da personalidade com a intenção da Alma, estará construindo uma nova forma (Lua) de expressão, mas em consonância com a vontade de Deus

É evidente que esta atitude interna se baseia em uma dualidade, na qual a matéria (corpos lunares) deve se acostumar ao novo poder representado pela “energia da Alma” em detrimento de sua velha e boa amiga: “a força da personalidade”. 

O Dom de Virgem foi expresso por Jesus quando, aos 12 anos se afastou da proteção de Maria para ir ao templo compartilhar com os Sábios: “devo me ocupar dos assuntos do meu pai”. Jesus mostrou aqui uma inflexão dando prioridade ao desenvolvimento de seu Cristo interno frente às obrigações da personalidade, simbolizadas pelas até então naturais exigências da Mãe.



A frase- chave


Eu sou a mãe e o filho, Eu, Deus, matéria sou”

Nestas palavras podemos observar um criativo jogo de palavras que mesclam a divindade com a matéria, sem esquecer do Eu, o princípio Alma, que une graças à sua capacidade de empatia com os diversos conceitos: Matéria, mãe - filho, Deus, ….. Eu compreendo os dois, e minha identificação com eles me permite o processo de união para ser Eu.

Este Eu é Mercúrio, o filho da mente, a luz da Alma, o fio condutor capaz de reconhecer e mesclar a divindade entre a Matéria e Deus.







Astrologia:

Em astrologia, a Lua está especialmente “forte” em quatro signos:

  • Em Touro ela mostra o poder das “sensuais” formas externas geradoras de desejo.
  • Em Câncer ela mostra o poder da emoção velada pelo corpo físico (somos 70% de água)
  • Em Virgem a Mãe Lua é a inércia protetora da Substância-Matéria, oferecendo o calor interno para o longo processo de “construir” um filho-Deus.
  • Em Aquário a forma Lunar mostra seu esplendor na expressão de um serviço fraternal e inclusivo. Aquário é a liberação externa do trabalho interno de Virgem.

Netuno, Júpiter e Vênus perdem poder neste signo, devido a que, na profundidade e escuridão da matéria, caverna ou cocho estes planetas não podem brilhar. Somente Mercúrio (o filho da mente) é capaz de mostrar sua exaltação, regendo através da razão pura (intuição) a Matéria Mãe (Lua). Mais tarde, quando a sabedoria interna alcança certo nível de expressão externa, graças ao cuidado e purificação da formas, estes três planetas acima indicados poderão expressar seu justo poder em Virgem.

 

Raios

O II Raio de amor-sabedoria, (Júpiter), em uma consciência evoluída pode ser muito bem expresso através de Virgem, devido à capacidade de referida consciência de conseguir que a matéria, a parte mas grosseira e profunda da manifestação, responda ao impacto do Amor externo. Aqui o II Raio através de Virgem centrado em Júpiter demonstra que Deus reside em todas as partes.

O IV Raio de beleza através do conflito está presente na relação Lua (mente inferior) e Mercúrio (mente superior) oferecendo através disso circunstâncias e dificuldades para alcançar a harmonia.

O I Raio de vontade também está presente, através de Vulcano velado pela Lua, mas em sua forma construtora positiva. A persistência, resistência e poder de redimir ou transmutar a matéria (Lua) são qualidades de primeiro raio.

O VI Raio de devoção também deve ser levado em conta, pois muitas vezes, quando falamos de Virgem, a Lua também vela Netuno, dando a entender o poder que têm as emoções, e sua correta direção para um ideal, nas importantes primeiras etapas de crescimento interno.

O IV e VI raios estão mais presentes nas primeiras etapas de crescimento, assim como o II nas últimas. A persistência e o poder do I Raio é uma constante em todas elas.


David C. M. (logos.astrologiaesoterica@gmail.com)


domingo, 14 de julho de 2013

O regente esoterico de Leão










Leão

Nos três signos de fogo (casas 1-5-9) nos é mostrado o poder do fogo mental. Em Áries a “Ideia” é exposta através de um poderoso e brilhante impulso; em Leão referida “Ideia” é “recriada”, (intelectualizada positivamente), e expressa ativamente pelo “si mesmo”; em Sagitário toda a positiva capacidade de Leão de autoafirmar a poderosa “Ideia” de Áries é reorientada para um objetivo definido e altruísta.

Leão é o signo que simboliza todas as qualidades da quinta (5) casa: a criatividade individual, a capacidade de fazer “coisas” a partir da própria certeza interna, a inteligência mais pessoal, as emoções mais generosas, o corpo causal, “o talento da Alma”, “os filhos da Ideia”.



O ambiente:

Em Câncer (casa 4) o indivíduo é dependente, sensível e apegado às suas raízes, ao lar e ao seu ambiente mais próximo e popular, seu trabalho é aprender a ser consciente da dependência para assim poder oferecer verdadeira sensibilidade “maternal”. A aceitação do “apego” é o primeiro passo para convertê-lo em empatia e compreensão para si mesmo e os demais. A Luz do lar depende da atitude interior.

Seguindo a lógica da roda zodiacal, em Leão, (casa 5) surge o indivíduo com a capacidade de dizer “EU SOU”, a dependência ao seu ambiente é mínima, Leão é o dirigente de referido entorno a partir da sua positiva atitude “paternal”, e dependerá muito do grau de evolução do sujeito se referida regência do ambiente será egocêntrica e impositiva ou generosa e altruísta.







O Sol
Em Áries o Sol está exaltado porque a Luz irrompe da escuridão, e em Leão o Sol é seu regente porque através dele a própria Luz é reafirmada, regida e interatuada.
 

Por que o Sol é o regente de Leão?

A qualidade destacada de Leão é a sua capacidade de adquirir autoconsciência ou irradiação própria através da interação com o ambiente. Em nosso sistema solar, a fonte de todo tipo de consciência pertence ao Sol, daí que ele seja o dirigente da capacidade de Leão. Poderíamos dizer que o sujeito condicionado por Leão é capaz de “roubar” os diferentes segredos solares segundo sejam suas necessidades.






      
    Hercules e o leão


Urano - Netuno

O sujeito de Leão se expressa como um Sol, já que realiza todas as suas interações com seu ambiente a partir do centro do seu próprio universo, mas segundo seja a sua necessidade evolutiva, as suas atividades solares poderão estar mais ou menos “veladas” por Netuno e Urano, dois planetas que ajudam o Sol (autoconsciência) a aceder e expressar os segredos cada vez mas profundos e liberadores do “si mesmo”.

Mostramos aqui uma breve reflexão sobre os caminhos que um sujeito condicionado por Leão deve percorrer, conforme for a sua necessidade evolutiva:


  • Sol físico: Aqui a autoconsciência é adquirida através da experiência da personalidade com as necessidades físicas e emocionais mais básicas. O padrão Lunar - Netuniano impõe a lei. O “leão” (a personalidade) se mostra egoísta por necessidade sendo capaz de impor sua lei no entorno para assim satisfazer o próprio instinto-desejo. Saturno marca os limites físicos. (multiplicidade)

  • O coração do sol: Aqui a autoconsciência se identifica com as qualidades da Alma: Autopercepção inteligente e Sensibilidade amorosa, sem esquecer o poder que a personalidade ainda exerce. Hércules (a Alma) está dentro da cova lutando com a personalidade (“o leão”). Nesta etapa intermediária, Urano oferece “inspirações” de caráter mental para que Netuno transmute suas forças astrais-emocionais em forças de devoção e aspiração. O plexo solar deseja conhecer o centro cardíaco. O “leão” pode ser muito generoso, embora também egoísta (dualidade).

  • O sol espiritual: Aqui a autoconsciência é adquirida através do reconhecimento da Vontade Divina. A Vida corre em abundância através do corpo etérico do ser humano. Hércules venceu o “leão”, (a personalidade expressa através do corpo astral), e o utiliza e recria como a “vestidura” ou a ferramenta para servir aos demais. Nesta etapa final Urano exerce seu poder oferecendo a capacidade de materializar o Propósito Divino na Terra (unidade), graças à sua mente cósmica.


Como sabemos, o processo de muitas vidas está em adquirir consciência e relação entre os dois primeiros sóis, e o triunfo final do segundo sobre o primeiro. A autoconsciência da grande maioria de nós flutua entre as nossas emoções mais pessoais e as possibilidades que a nossa consciência é capaz de perceber para “transmutar” desejos pessoais e alcançar atitudes mais altruístas e fraternais. Em última instância, estar motivado e ativado pelo desejo não indica verdadeira autoconsciência, mas que esta existe quando o ser humano demonstra percepção mental através de uma vida autodirigida para um objetivo definido. O sujeito muito evoluído de Leão é capaz de ser autoconsciente das suas capacidades pessoais em união com as espirituais, a ação e o objetivo podem ir juntos e quando isto acontece o Sol (a luz da Alma) é inspirado por Urano.

Leão não é regido por nenhum planeta, é bem “aconselhado”, já que a autoconsciência (Sol) tem a última palavra, daí a grande capacidade de Leão de atuar sem condicionantes. Observem a atitude das pessoas influenciadas por Leão e observarão sua grande capacidade de se expressar livremente. Leão é a liberação pessoal do controle externo.




Frase

A frase para Leão pouco evoluído é: “que outras formas existam e eu reine porque eu sou”.

A palavra para o ser evoluído é:

“ Eu sou Aquele, Aquele sou Eu”


A primeira frase é muito evidente: há uma dualidade, onde uma da partes se impõe sobre a outra. A segunda dá a entender uma dualidade incluída, isto é, o ser continua reafirmando sua verdade: “Eu sou”, mas em sua afirmação inclui o outro: “Aquele”. O poder da sua autoafirmação lhe permite a máxima identificação com o “outro”, a multiplicidade em um todo igual; observemos que tanto o “Eu” como o “Aquele” estão em maiúscula.

De um ponto vista subjetivo é curioso observar que a frase começa e acaba com o “Eu”, sendo este a expressão externa (personalidade), e o duplo “Aquele”, no interior da frase, como algo protegido e gerador de amor-sabedoria (alma).

Mas ainda podemos ir mais além, e pensar que o “Eu” é o pai (vontade), e o “Aquele” é o filho (personalidade purificada); espírito e matéria, unidos graças à qualidade (alma) do Leão.





Raios (I, II, VI, VII)

Leão traz em seu “ADN” o 1º raio, daí a sua poderosa capacidade de dirigir, regular (Regulus) e expressar.

Por outro lado, e segundo nos dizem os livros esotéricos, o nosso sistema solar é de 2º raio, daí que o Sol seja chamado o olho de Júpiter (o agente do 2º raio)

Para falar de forma clara e sintética dos raios que condicionam o sujeito de Leão, utilizaremos um texto do Mestre DK:

O homem perfeito de Leão, a alma autoconsciente e amorosa ( raio), leva seu poder de expressão (1º raio) diretamente do seu próprio plano ao plano da manifestação externa, mas conservando ao mesmo tempo o controle interno (Urano – raio) e, deste ponto de realização, converte seu objetivo ideal (Netuno – raio) em realidade em sua consciência, mediante a sensibilidade da vibração superior e o dirigido e inteligente serviço ao Plano. Reflitam sobre este resumo”

                                                                                                              Alice Bailey (AE)





 David C.M.   (email:  logos.astrologiaesoterica@gmail.com)