segunda-feira, 29 de agosto de 2011

A Intuição ( II )




                    A intuição ( II ) e suas correspondências planetárias.

A intuição é um processo estreitamente relacionado com a palavra Amor ou a capacidade de Unir.
Em última instância, este universo todo é uma expressão do Amor de Deus, mas se o analisarmos de uma vertente mas próxima e para definir o Amor, utilizamos as palavras generosidade, expansão, compreensão, sensibilidade, sentimento e imaginação e os planetas aqui mais relacionados são: Netuno Júpiter e Vênus.


Netuno é o grande regente do psiquismo, tanto inferior como superior, daí que em muitos Amores chamados repentinos, reais ou não, Netuno esteja presente, e daí também que em sua vertente mais espiritual esteja muito presente também nas cartas de grandes criadores e místicos.

Observar a “impressionante” força de Netuno e da Lua nas duas cartas* das meninas que viram a Virgem, tanto em Fátima como em Lourdes. Nelas se vê claramente a capacidade de Netuno para espiritualizar a matéria-Lua (Maria) através do Amor gerado no sentimento devocional (plexo solar).
Também é muito importante observar nestes dois casos místicos, como o regente esotérico do ascendente (Alma) participa de forma importantíssima da relação Lua-Netuno.

Assim, o planeta que marca o contato com o princípio Crístico é Netuno, a flexibilidade, empatia, sensibilidade, imaginação,   são palavras-chave para aceder ao plano Búdico, o lugar onde é possível unir a pequena vontade humana com a realidade suprema.
Netuno, esotericamente é considerado “o coração do Sol” (Amor) e é junto com Urano (Vontade Espiritual) e Saturno (Inteligência Prática), um dos três sintetizadores do nosso sistema solar.


Para aceder ao plano intuicional, não só faz falta uma forte “evocação amorosa”, como também é preciso ter o “dom” de Júpiter: capacidade de expansão através do Amor Includente. Júpiter é o grande doador de vida do zodíaco, o grande servidor capaz de incluir a todos em seu interior. Por isso a atitude positiva e a generosa confiança são necessárias para que a intuição tenha um reflexo correto no coração.


E por último Vênus, o planeta que relaciona a Alma com nosso ambiente, a energia que melhor unifica a dualidade. É precisamente a qualidade Vênus que levará nossa intuição ao mundo objetivo como serviço aos demais.

Antes de concluir, há que ter presente Mercúrio, já que é o construtor do Antakarana, o Caminho interno pelo qual a informação Espiritual é transmitida aos três corpos inferiores, e portanto sua função construtora é necessária antes de que o exposto acima seja dado.

Somente em caso de necessidade muito extrema a intuição pode ser revelada de forma inconsciente, isto ocorre quando o conflito gerado nos corpos inferiores é capaz de evocar as forças do Amor em demanda de uma solução muito necessitada. Esta situação em geral está refletida na Lua quando vela Netuno, a pessoa não é capaz, daí o véu, de compreender o significado emocional de Amor (Netuno) que reside por trás da forma (Lua), isto gera nela um forte mal-estar, a força da qual é capaz, através da Alma e de forma inconsciente, de obter uma intuição curativa. Neste caso, Marte é o regente do plexo solar e não Netuno, o qual permanece velado.




Como diz o provérbio: “As árvores impedem a visão do bosque”

A intuição é ver o bosque, ver nos muitos o “uno” e isso é possível uma vez que tenham sido explorados e esgotados os recursos da mente inferior, para dar passo à capacidade de entrar no mundo das causas, pensar no todo e sintetizar com a confiança do coração.

David c.m.


*Lucia do Santos: 22 de março de 1907 às 20h37, Aljustrel, Fátima (Portugal)
  Bernardette Soubirous: 7 de janeiro de 1844 às 14h00, Lourdes (França)

I

Nenhum comentário:

Postar um comentário