sábado, 31 de março de 2012

Nova Astrologia (1 parte)



                
 
        A Nova Astrologia 1 parte: “Necessidade de Síntese”


A astrologia, como toda ciência, está sempre em evolução, e este Caminho está marcado pela evolução da consciência da humanidade.

É evidente que a consciência humana sofreu e está sofrendo fortes mudanças desde a chegada da “modernidade” (150 anos), e com ela a abertura e chegada ao grande público de todo tipo de informação até há pouco considerada secreta ou extravagante.
Exemplos desta novidade são a grande diversidade de livros e webs que falam de Buda, Tíbet, religião hindu, Teosofia, yoga, chacras, raios de energia, corpo etérico, Mestres Ascendidos, Alma, terapias de cor, de música, reencarnação, geometria sagrada, física quântica-relatividade, medicina alternativa, dharma ….
Esta grande proliferação de novos conceitos foi acompanhado de uma crescente capacidade da psicologia de analisá-los e integrá-los, junto com um paulatino abandono por parte da sociedade, da religião mais tradicional e devocional, onde a fé “cega” (acertada ou não) era o expoente máximo.

Esta chegada de novas informações e conceitos é trazida à humanidade pela necessidade que as novas consciências nascentes têm dela, e em consonância com o que disse o Cristo: “todos os segredos serão expostos”

As Almas cada vez mas evoluídas pedem mais informação, e ante este real novo nível de energia, a astrologia necessariamente deve ser reinterpretada.



Atualmente em muitos lugares, um deles este blog, procura-se alcançar uma síntese para esta nova interpretação da astrologia.

Nesta síntese os três pontos chaves são:

Tradição (personalidade-apego) - Psicologia (mente, Eu não-eu) - Alma (amor-desapego)



A tradição: neste ponto se une o mistério dos tempos, do passado, o que nossos antepassados construíram, e portanto nos merece o máximo de respeito. As raízes estão aí e elas nutrem o crescimento. Mas não devemos esquecer que as necessidades das personalidades de antigamente eram em geral e em grande maioria necessidades do mundo material de desejos, muito relacionados com o corpo instintivo-emocional.


A psicologia: neste ponto há que ter muito em conta a capacidade da psicologia de fazer de ponte entre o que está por vir e o passado. A mente e sua capacidade de análise, discernimento e compreensão é a purificadora da aparente realidade. Mas não devemos esquecer que a mente é apenas a ferramenta da Alma e portanto seu poder deve ser limitado à sua justa medida.
A psicologia nos mostra o Caminho para a Alma e sua correta expressão.


Alma: Este velho mas desconhecido conceito é chave para poder entrever uma saída otimista para o excesso de análise da psicologia e o excesso de predestinação da astrologia tradicional. A Alma é aquela energia que nos abre as portas para novas possibilidades de vida graças à sua qualidade flexível e intuitiva: Amor-Compreensão. A Alma é o significado ou qualidade que há por trás da forma ou circunstância.

Poderíamos dizer que a Alma é a diretora que utiliza a psicologia (mente) para una aplicação amorosa e prática da expressão mais pessoal ou materialista.


A união destes três pontos é a astrologia do futuro. Claro, que surgem muitas perguntas a respeito, mas nem tudo pode ser escrito em um artigo, assim que pouco a pouco iremos detalhando diferentes chaves para conseguirmos aprofundar estes novos pontos de vista.

No próximo capitulo falaremos da necessidade de conhecer o nível evolutivo da Personalidade-Alma antes de interpretar sua carta natal



David C.M.


                                 

sexta-feira, 9 de março de 2012

Espírito e Matéria




                                             A relação Espírito … Matéria

A ciência já admite que substância e luz são o mesmo, e como já disse Helena Blavatsky, Espírito e Matéria são duas partes do UNO em diferentes graus de evolução ou manifestação.

A Chispa Divina ou Espírito decide (deseja) se manifestar, a Mãe (Matéria-Maria) decide (deseja) receber a penetração desta Vida Espiritual, e para que isto ocorra só há um Caminho, a relação.

Através deste contato, a Matéria reage mostrando: inteligência, atividade, harmonia, beleza, ciência, sentimento, magia…, por sua vez, o Espírito mostra: vontade de ser, de vida, de poder, de sacrifício …
Ele desce à terra para dar expressão à sua vontade, Ela o recebe para poder subir ao céu.

Deus manifiesta Seu Poder, graças à capacidade receptiva da Deusa Mãe, e a Deusa Mãe manifesta Sua Graça graças à capacidade volitiva do Deus Pai.

Como vê é um jogo de relações, que se o analisamos do ponto de vista mais humano, é a relação do Espírito ou Vontade divina com a Personalidade ou Atividade da natureza.



Mas a pergunta aqui é: esta relação é direta ou há um intermediário?

Como você já sabe há uma intermediação, necessariamente a relação Pai-Mãe, Espírito-Matéria, Vontade-Atividade Inteligente, Mônada-Personalidade, Eu-não eu… produzem o Filho, o Amor, a Consciência, a Alma, o Eu sou …, e o que eram dois se converte em três.

Assim pois, se analisamos as palavras que convertem o dois em três veremos que têm a capacidade de tornar benigno o impacto entre o divino e o material, e este impacto e sua reação vão se aperfeiçoando através das sucessivas reencarnações ou experiências de contato.





A pergunta que agora podemos fazer é: se a Alma reside no meio, que atitude tem quando olha para baixo? e quando olha para cima?

A alma quando olha para a personalidade (matéria), oferece a esta a capacidade de compreender a dificuldade do impacto ou relação com a poderosa energia do espírito, e faz isto se relacionando com a ativa e ansiosa personalidade através da qualidade da Sabedoria

A alma quando olha para o espírito (vida), oferece a este a posibilidade de que a energia deste seja bem recebida pela personalidade, e faz isto se relacionando com o poderoso e vital espírito através da qualidade do Amor.


A Alma, nossa Alma e a de todos utiliza o Amor para aceitar e regular o poder do Espírito, e a a Sabedoria para dirigir e purificar a atividade da Personalidade.

Que bem saber isto!


A grande pergunta agora é: como tomar consciência desta Alma ou Caminho do meio?

Na verdade não somos todos iguais, e o que é válido para um talvez não seja para o outro, mas há un Caminho que une, e este Caminho é a Mente.
Não me refiro à mente intelectual excessivamente analítica que raciocina e julga, mas àquela Mente que, com honestidade, nos dá a possibilidade de discernir e compreender que atitude mental é a mais correta, para assim poder adquirir do nosso interior serenidade e confiança, passo prévio para que a Alma floresça.

A Mente sabe que a Intuição alcança o Coração quando diz: isto sei Eu!!

Luz (mente) que como uma espada penetra na aparente realidade, e nos mostra a todos que na grande diversidade só existe uma Verdade: Matéria e Espírito são uma mesma coisa graças ao Amor.

O uno no três, os três no uno.

A meus pais

Escrito na Lua cheia de Piscis.

David C.M.