quinta-feira, 29 de agosto de 2013

O regente esotérico de VIRGEM




VIRGEM

Virgem faz referência à pureza da Matéria, e à capacidade desta de responder ao impacto do Amor de Deus sobre Ela. A Virgem (mãe-matéria) é essencialmente receptiva e sua resposta sempre depende da consciência que a habita. O corpo nunca nos dará as costas, somos nós que descuidamos dele. É necessário ter cuidado com o corpo, porque em sua generosa receptividade está o trampolim para a correta atitude, o caráter purificado que mais tarde será a base para a expressão do Amor inclusivo ou princípio Crístico.

Como no caso de um brilhante ou pedra preciosa, para que a Alma possa se expressar em plenitude, necessita de um longo e lento processo de adaptação, no qual a Mãe-Matéria é seu guardião e, ao mesmo tempo, a substância que alimenta o caminho.



Mercúrio: “o filho da mente”

Mercúrio é o governante da mente concreta e abstrata. Virgem (a mãe) protege e nutre o crescimento de referida mente e, através do tempo, Mercúrio (o mensageiro dos deuses) aprende a relacionar seu habitáculo material com as mensagens divinas, dirigindo assim a mãe-matéria para a expressão do Amor Puro. Isto é ser inteligente: saber harmonizar a realidade material com a espiritual.

Virgem, através de uma consciência “egoísta” pode trazer fracassos que levam à introversão, pois este signo de terra não é impositivo e extrovertido como seu signo anterior (Leão), é bastante introvertido e com tendência a reanalisar em excesso os erros próprios ou alheios que referida consciência crê que impedem o triunfo. O excesso é um sintoma de egoísmo e é precisamente no “fracasso” que se torna introvertido e onde reside a oportunidade (para a consciência preparada) de conquistar a transmutação. A análise honesta e a aceitação do que isso implica e com o consequente silêncio mental, é a antessala da verdadeira criatividade.

A introversão em Virgem é uma tendência natural, sua polarização ou atenção da consciência se põe nos profundos e silenciosos processos físicos (terra) internos, onde as formas básicas (lunares) de determinada vida devem ser postas em harmonia com a nova consciência da Alma que surge em contraposição com as velhas forças da consciência pessoal.

Quando a energia de Virgem é utilizada por uma consciência “generosa”, Mercúrio oferece poder discriminador e intuitivo para que a Matéria ou Personalidade primária possa ser bem construída. A palavra-chave em Virgem evoluído é CONSTRUIR, e para isso Mercúrio é nutrido pela matéria mas, ao mesmo tempo, ele, é seu governante. A receptiva substância, o material básico para construir, está simbolizada pelo regente esotérico de Virgem: a Lua.



A Lua

“a vontade de Deus para a manifestação na forma”


A Lua, através de Virgem, é o aspecto mãe da divindade que nutre e protege o Cristo ou Amor interno, assim relacionando consciência e forma. Esta relação constrói o que chamamos centros de autoconsciência (Leão – luz própria), primeiro passo para entrar no processo que mais tarde expressará o serviço altruísta (Aquário) e o sacrifício amoroso (Peixes) de um Filho de Deus.

Em Virgem a Lua é o receptáculo “feminino” onde a relação espírito-matéria é desenvolvida sob as leis ("cuidados") da Mãe.

Quando o sujeito de Virgem (ascendente) é capaz de reconhecer em sua consciência a reação que produz o impacto das exigências da Alma em seus corpos lunares, (físico-emocional-mental inferior) e, com este reconhecimento, na calma e escura profundidade das sensações (Terra), consegue relacionar, através da Mente superior Mercurial, a vida da personalidade com a intenção da Alma, estará construindo uma nova forma (Lua) de expressão, mas em consonância com a vontade de Deus

É evidente que esta atitude interna se baseia em uma dualidade, na qual a matéria (corpos lunares) deve se acostumar ao novo poder representado pela “energia da Alma” em detrimento de sua velha e boa amiga: “a força da personalidade”. 

O Dom de Virgem foi expresso por Jesus quando, aos 12 anos se afastou da proteção de Maria para ir ao templo compartilhar com os Sábios: “devo me ocupar dos assuntos do meu pai”. Jesus mostrou aqui uma inflexão dando prioridade ao desenvolvimento de seu Cristo interno frente às obrigações da personalidade, simbolizadas pelas até então naturais exigências da Mãe.



A frase- chave


Eu sou a mãe e o filho, Eu, Deus, matéria sou”

Nestas palavras podemos observar um criativo jogo de palavras que mesclam a divindade com a matéria, sem esquecer do Eu, o princípio Alma, que une graças à sua capacidade de empatia com os diversos conceitos: Matéria, mãe - filho, Deus, ….. Eu compreendo os dois, e minha identificação com eles me permite o processo de união para ser Eu.

Este Eu é Mercúrio, o filho da mente, a luz da Alma, o fio condutor capaz de reconhecer e mesclar a divindade entre a Matéria e Deus.







Astrologia:

Em astrologia, a Lua está especialmente “forte” em quatro signos:

  • Em Touro ela mostra o poder das “sensuais” formas externas geradoras de desejo.
  • Em Câncer ela mostra o poder da emoção velada pelo corpo físico (somos 70% de água)
  • Em Virgem a Mãe Lua é a inércia protetora da Substância-Matéria, oferecendo o calor interno para o longo processo de “construir” um filho-Deus.
  • Em Aquário a forma Lunar mostra seu esplendor na expressão de um serviço fraternal e inclusivo. Aquário é a liberação externa do trabalho interno de Virgem.

Netuno, Júpiter e Vênus perdem poder neste signo, devido a que, na profundidade e escuridão da matéria, caverna ou cocho estes planetas não podem brilhar. Somente Mercúrio (o filho da mente) é capaz de mostrar sua exaltação, regendo através da razão pura (intuição) a Matéria Mãe (Lua). Mais tarde, quando a sabedoria interna alcança certo nível de expressão externa, graças ao cuidado e purificação da formas, estes três planetas acima indicados poderão expressar seu justo poder em Virgem.

 

Raios

O II Raio de amor-sabedoria, (Júpiter), em uma consciência evoluída pode ser muito bem expresso através de Virgem, devido à capacidade de referida consciência de conseguir que a matéria, a parte mas grosseira e profunda da manifestação, responda ao impacto do Amor externo. Aqui o II Raio através de Virgem centrado em Júpiter demonstra que Deus reside em todas as partes.

O IV Raio de beleza através do conflito está presente na relação Lua (mente inferior) e Mercúrio (mente superior) oferecendo através disso circunstâncias e dificuldades para alcançar a harmonia.

O I Raio de vontade também está presente, através de Vulcano velado pela Lua, mas em sua forma construtora positiva. A persistência, resistência e poder de redimir ou transmutar a matéria (Lua) são qualidades de primeiro raio.

O VI Raio de devoção também deve ser levado em conta, pois muitas vezes, quando falamos de Virgem, a Lua também vela Netuno, dando a entender o poder que têm as emoções, e sua correta direção para um ideal, nas importantes primeiras etapas de crescimento interno.

O IV e VI raios estão mais presentes nas primeiras etapas de crescimento, assim como o II nas últimas. A persistência e o poder do I Raio é uma constante em todas elas.


David C. M. (logos.astrologiaesoterica@gmail.com)


Um comentário:

  1. Gostei do blog. Partilho com as previsões de Aline, da Cidade das Pirâmides, para o ano de 2013. Impressionante como ela acertou!São três programas imperdíveis. Confira http://youtu.be/hJV1qZWTtF0 . Caso desejarem visitem também o Blog:
    http://deolhonomundoblog.wordpress.com/ Abraços.

    ResponderExcluir