domingo, 16 de junho de 2013

O regente esotérico de CÂNCER



Câncer

Nos três signos de água podemos observar o percurso simbólico da manifestação, Câncer é o princípio, o poder ativo do nascimento de um rio, Escorpião é o curso deste rio, onde o poder ativo do primeiro impulso experimenta os “altos e baixos” do caminho, e Peixes é o final, onde o rio se apazigua mesclando-se com a grandeza do oceano ou a totalidade.

Câncer é a primeira água criadora através da qual as Almas vêm à manifestação com uma forma física bem definida. A união de Áries (mente-ideia), Touro (desejo-substância) e Gêmeos (corpo etérico-comunicação) nos leva necessariamente a Câncer: os três condensados em um corpo.

A síntese do passado reencarna através de Câncer e esta síntese no corpo humano é o que esotericamente chamamos de pitris lunares ou corpo inferior. Astrologicamente, o padrão Lunar em uma carta astral marca o princípio raiz de um nascimento; a infância com seus primeiros impulsos nos dá muitas informações sobre as primeiras atitudes (positivas ou negativas) sobre as quais a Alma deverá procurar ser e evoluir.

Lembremos que a consciência maior sempre contém a menor, por tanto as inércias básicas, impulsos, apegos, tendências, limitações, sonhos, ou desvantagens simbolizados pela Lua, são a “matéria-prima” para que a potente, passional e ativa energia solar possa adquirir experiência de um eu pessoal. Mais tarde, quando por necessidade a energia personalista do signo solar for reconduzida para o signo ascendente, as forças lunares poderão ser receptivas às qualidades da Alma (harmonia, compreensão, confiança) e, graças à assimilação interna, estas mesmas forças poderão expressar uma personalidade ou atividade mais altruísta; o mundo exterior sempre é a contraparte do mundo interior.

Na parte receptiva feminina da noite, o Mistério pode exercer uma sutil influência na Matéria, para que quando saia a Luz, esta, (a matéria), possa mostrar sua nobreza.


Lua

A Lua pode ser entendida como “a mente emocional”, aquele padrão psíquico capaz de gerar inércias no corpo etérico-físico. “Ela” é a reação reflexa, o primeiro pronto da criança mostrada por sua mãe e a primeira ferramenta de contato com o mundo que o rodeia. Quando mais maduro, o regente Lunar tem uma relação direta com Saturno e aqueles pensamentos – emoções que “não sabemos por qual razão” se nos repetem condicionando de forma compulsiva as nossas reações frente às circunstâncias que nos rodeiam. Como já sabem, estas dificuldades devem ser compreendidas como uma oportunidade.

Por ser Câncer o primeiro signo de água onde as Almas vêm à Vida, o primeiro impulso ou “infância” Lunar mostram neste signo sua razão de ser ou dignidade. Toda personalidade muito condicionada por estas forças se mostrará apegada aos seus sentimentos mais básicos e espontâneos, ao seu passado, infância, família, amigos, país…, e devido ao apego, tudo isso será susceptível de gerar excesso de sensibilidade, dependência ou espelhismo; mas também, uma pessoa com um Câncer ou Lua fortes, poderá mostrar um padrão psíquico “nobre”, de grande capacidade empática, familiar, acolhedor, sensível, evocador, e receptivo aos mundos espirituais, quando isto acontece devemos pensar que o regente esotérico, Netuno, está fazendo ato de presença.


Netuno


Netuno é o Deus das Águas, e como tal é o senhor das emoções – sentimentos que transmite a tão necessária energia do VI Raio, a Devoção, aquele poder que nos dá a motivação de sermos ativamente amorosos. No corpo humano seu poder reside no plexo solar e a boa utilização de suas energias, por parte da consciência, oferece ao ser humano a capacidade de “andar sobre as águas”.

Na conquista do domínio das emoções o homem/mulher dá o primeiro passo para aprender a oferecer um serviço amoroso cada vez mais constante e dirigido pela Vontade.

Netuno, quando a personalidade está bem sob o domínio da Alma, pode ter uma relação direta com a intuição; a Devoção-Amorosa do VI Raio de Netuno é receptiva, por afinidade, ao 2º plano intuitivo de Sabedoria-Amorosa, daí que Júpiter, o representante do II Raio, esteja exaltado em Câncer. A “fluida emoção” netuniana é o fermento através do qual o princípio crístico sintetiza ou torna seu serviço concreto; uma intuição sempre é uma motivação real. Exemplos marcantes desta relação são os que manteve Jesus com Cristo, Arjuna com Krisna, ou os nobres Místicos com o Amado.

Vale dizer ainda que nos novos Tempos que “correm” há que ter também muito presentes os poderes mentais cósmicos (Urano) ou mentais concretos (Vênus), e há tempos que o processo evolutivo da humanidade demanda raciocínios novos e mais concretos sobre o que antigamente era chamado de “o mistério do amor divino”. Com o tempo, coração-mente, ou ciência-religião serão uma unidade.


A frase-chave:
Para uma consciência demasiado pessoal a frase é: “que o isolamento seja a regra e no entanto que a multidão exista”; para a Alma é:


“construo uma casa iluminada e nela moro”


Se comparamos as duas frases, sabendo que fazem referência a um signo de água, podemos pensar que a palavra-chave é apego. Na primeira, o excesso de apego gera o isolamento ou a necessidade de autodefesa e ao mesmo tempo dependência dos demais, sejam quem forem (multidão). Na primeira frase existe uma dualidade, na segunda esta desaparece, existe apenas a capacidade de estar só na consciência. O desapego oferece a solidão compreensiva, a independência, o discernimento correto, assim a “própria casa” pode ser construída e em sua Luz: um convite para compartilhar.








Raios

Os livros esotéricos nos dizem que Câncer e Capricórnio são as duas portas que trazem as Almas à reencarnação, portanto nestes signos estão muito presentes a Organização Vital da matéria (VII Raio) para aplicação Prática e Inteligente (III Raio) às necessidades da consciência que reencarna.


O VI Raio de Devoção através de Netuno e o IV Raio de Harmonia no Conflito através da Lua oferecem neste signo as condições necessárias para que a Alma reencarnada compreenda o poder do plexo solar como ponto de ancoragem do psiquismo inferior e o mundo material.




O cavalo é um dos grandes símbolos do VI Raio. A fidelidade é o seu grande dom.




David C.M.