terça-feira, 3 de abril de 2012

Nova Astrologia (2 parte)

               




                      
                                                    Nova Astrologia 2ª parte: “níveis de consciência”


Como dissemos no capitulo anterior, antes de afrontar a interpretação de uma carta natal, todo bom astrólogo deve refletir sobre o nível evolutivo do dono da carta. Isto se pode fazer de várias formas, mas a mais aconselhável é um encontro objetivo e pessoal com a pessoa a tratar.

Também é preciso dizer que o nível evolutivo do astrólogo é muito importante, mas neste caso damos por assentado que todo astrólogo que sente atração e interesse pela “astrologia da Alma” demonstra que deu um passo no caminho.

Quando se trata de um autoestudo, isto é, a própria pessoa utiliza sua própria carta para se conhecer, a melhor maneira para conhecer mais ou menos o próprio nível evolutivo é alcançar uma ressonância interna através de leituras. Quando alguém lê ou escuta algo relacionado com seu grau de consciência imediatamente surge em seu coração uma vibração profunda. Se é uma informação relacionada com a personalidade, compreende o que lê ou escuta mas o coração não é estimulado.



Una vez compreendido isto, vamos falar mas especificamente dos possíveis níveis evolutivos da pessoa, mas antes de tudo é preciso dizer que: Não há níveis melhores que outros, há diferentes tipos de necessidade.

Também é preciso ter em conta que estes graus estão entremesclados entre si, segundo as necessidades da Alma, portanto há tantos matizes como consciências; mas para efeitos práticos do nosso artigo, vamos sintetizar esta diversidade em 3 níveis ou graus de evolução.

O três é um numero (triângulo) de fluidez e permite flexibilidade em suas aplicações.


Níveis de consciência:

Nível 1, características:

  • A experiência da personalidade é a razão de ser, a aprendizagem é excessivamente condicionada pelo plexo solar.
  • Personalidade materialista - inconsciência da Alma. No há necessidade de raciocinar sobre o conceito Alma.
  • Sentido de destino, acredita-se na boa ou má sorte.
  • A objetividade é interessada ou pouco honesta. A mente não é independente, é condicionada pela emoção-desejo.
  • Pode ser crente, mas a relação com a divindade está em relação com a emoção que produz “pedir ajuda” a um poder superior para o cumprimento dos desejos pessoais.
  • O poder da emoção tem reflexo no mundo instintivo. Emoção-reação. Grande força impulsionadora quando as circunstâncias são benéficas.
  • Se as circunstâncias são difíceis, o extrovertido culpa os demais sobre as circunstâncias, o introvertido tem tendência à tristeza.

Nível 2, características:

  • Personalidade consciente que atende ao “mistério”. Compreende a si mesmo e procura aplicar a ideia do “do Caminho do meio”. A Alma começa a ser um conceito reconhecível.
  • Importância da subjetividade, o passado objetivo no exerce tanta atração. A pessoa é consciente de seus estados internos e procura relacioná-los com suas circunstâncias externas.
  • A Mente é independente e diretora, mas pode ser “matadora” do real. Frieza-Clareza.
  • O controle emocional começa a ser um objetivo e pouco a pouco deve ser conquistada a tão necessária serenidade emocional. A reação emocional muitas vezes é destrutiva ou autodestrutiva O sentido de dualidade é um fato.
  • Ante circunstâncias difíceis, o introvertido adquire sentido de inferioridade, o extrovertido de superioridade, as duas atitudes são um espelhismo que deve ser vencido através da clareza mental.
  • Florescimento gradual da Alma e vislumbres intuitivos de compreensão de que o Carma ou dificuldade é uma oportunidade.


Nível 3, características:
  • Mente – Coração: pensar com o coração.
  • O maior desejo da personalidade é expressar as qualidades da Alma através do serviço desinteressado.
  • A subjetividade é projetada de forma objetiva. A compreensão para com o entorno é inclusiva.
  • Ante circunstâncias difíceis, tanto o introvertido como o extrovertido adquirem aceitação dos fatos e uma atitude mental correta.
  • A personalidade regida pela Alma luta contra a inércia física, tem controle emocional, e não se deixa arrastar pela depressão mental.
  • A pessoa regida pela Alma adquire silêncio e serenidade aprendendo a relacionar em sua consciência a experiência vital e a capacidade subjetiva. (meditação)
  • A Alma iniciada nos “mistérios”. Intuição desperta, mente clara, emoção dirigida, serviço grupal.



Estes três níveis têm uma grande inter-relação entre si, mas devemos ter em conta que quando alguém começa a ser consciente das virtudes e capacidades de um dos níveis, atuar conscientemente em favor de um nível inferior é considerado um passo para trás no caminho.

Como diz o Mestre: “pecar é se repetir”




Na terceira e última parte, analisaremos uma configuração conflitante entre dois planetas e sua relação com o nível de consciência.

David C.M.




Nenhum comentário:

Postar um comentário