domingo, 14 de julho de 2013

O regente esoterico de Leão










Leão

Nos três signos de fogo (casas 1-5-9) nos é mostrado o poder do fogo mental. Em Áries a “Ideia” é exposta através de um poderoso e brilhante impulso; em Leão referida “Ideia” é “recriada”, (intelectualizada positivamente), e expressa ativamente pelo “si mesmo”; em Sagitário toda a positiva capacidade de Leão de autoafirmar a poderosa “Ideia” de Áries é reorientada para um objetivo definido e altruísta.

Leão é o signo que simboliza todas as qualidades da quinta (5) casa: a criatividade individual, a capacidade de fazer “coisas” a partir da própria certeza interna, a inteligência mais pessoal, as emoções mais generosas, o corpo causal, “o talento da Alma”, “os filhos da Ideia”.



O ambiente:

Em Câncer (casa 4) o indivíduo é dependente, sensível e apegado às suas raízes, ao lar e ao seu ambiente mais próximo e popular, seu trabalho é aprender a ser consciente da dependência para assim poder oferecer verdadeira sensibilidade “maternal”. A aceitação do “apego” é o primeiro passo para convertê-lo em empatia e compreensão para si mesmo e os demais. A Luz do lar depende da atitude interior.

Seguindo a lógica da roda zodiacal, em Leão, (casa 5) surge o indivíduo com a capacidade de dizer “EU SOU”, a dependência ao seu ambiente é mínima, Leão é o dirigente de referido entorno a partir da sua positiva atitude “paternal”, e dependerá muito do grau de evolução do sujeito se referida regência do ambiente será egocêntrica e impositiva ou generosa e altruísta.







O Sol
Em Áries o Sol está exaltado porque a Luz irrompe da escuridão, e em Leão o Sol é seu regente porque através dele a própria Luz é reafirmada, regida e interatuada.
 

Por que o Sol é o regente de Leão?

A qualidade destacada de Leão é a sua capacidade de adquirir autoconsciência ou irradiação própria através da interação com o ambiente. Em nosso sistema solar, a fonte de todo tipo de consciência pertence ao Sol, daí que ele seja o dirigente da capacidade de Leão. Poderíamos dizer que o sujeito condicionado por Leão é capaz de “roubar” os diferentes segredos solares segundo sejam suas necessidades.






      
    Hercules e o leão


Urano - Netuno

O sujeito de Leão se expressa como um Sol, já que realiza todas as suas interações com seu ambiente a partir do centro do seu próprio universo, mas segundo seja a sua necessidade evolutiva, as suas atividades solares poderão estar mais ou menos “veladas” por Netuno e Urano, dois planetas que ajudam o Sol (autoconsciência) a aceder e expressar os segredos cada vez mas profundos e liberadores do “si mesmo”.

Mostramos aqui uma breve reflexão sobre os caminhos que um sujeito condicionado por Leão deve percorrer, conforme for a sua necessidade evolutiva:


  • Sol físico: Aqui a autoconsciência é adquirida através da experiência da personalidade com as necessidades físicas e emocionais mais básicas. O padrão Lunar - Netuniano impõe a lei. O “leão” (a personalidade) se mostra egoísta por necessidade sendo capaz de impor sua lei no entorno para assim satisfazer o próprio instinto-desejo. Saturno marca os limites físicos. (multiplicidade)

  • O coração do sol: Aqui a autoconsciência se identifica com as qualidades da Alma: Autopercepção inteligente e Sensibilidade amorosa, sem esquecer o poder que a personalidade ainda exerce. Hércules (a Alma) está dentro da cova lutando com a personalidade (“o leão”). Nesta etapa intermediária, Urano oferece “inspirações” de caráter mental para que Netuno transmute suas forças astrais-emocionais em forças de devoção e aspiração. O plexo solar deseja conhecer o centro cardíaco. O “leão” pode ser muito generoso, embora também egoísta (dualidade).

  • O sol espiritual: Aqui a autoconsciência é adquirida através do reconhecimento da Vontade Divina. A Vida corre em abundância através do corpo etérico do ser humano. Hércules venceu o “leão”, (a personalidade expressa através do corpo astral), e o utiliza e recria como a “vestidura” ou a ferramenta para servir aos demais. Nesta etapa final Urano exerce seu poder oferecendo a capacidade de materializar o Propósito Divino na Terra (unidade), graças à sua mente cósmica.


Como sabemos, o processo de muitas vidas está em adquirir consciência e relação entre os dois primeiros sóis, e o triunfo final do segundo sobre o primeiro. A autoconsciência da grande maioria de nós flutua entre as nossas emoções mais pessoais e as possibilidades que a nossa consciência é capaz de perceber para “transmutar” desejos pessoais e alcançar atitudes mais altruístas e fraternais. Em última instância, estar motivado e ativado pelo desejo não indica verdadeira autoconsciência, mas que esta existe quando o ser humano demonstra percepção mental através de uma vida autodirigida para um objetivo definido. O sujeito muito evoluído de Leão é capaz de ser autoconsciente das suas capacidades pessoais em união com as espirituais, a ação e o objetivo podem ir juntos e quando isto acontece o Sol (a luz da Alma) é inspirado por Urano.

Leão não é regido por nenhum planeta, é bem “aconselhado”, já que a autoconsciência (Sol) tem a última palavra, daí a grande capacidade de Leão de atuar sem condicionantes. Observem a atitude das pessoas influenciadas por Leão e observarão sua grande capacidade de se expressar livremente. Leão é a liberação pessoal do controle externo.




Frase

A frase para Leão pouco evoluído é: “que outras formas existam e eu reine porque eu sou”.

A palavra para o ser evoluído é:

“ Eu sou Aquele, Aquele sou Eu”


A primeira frase é muito evidente: há uma dualidade, onde uma da partes se impõe sobre a outra. A segunda dá a entender uma dualidade incluída, isto é, o ser continua reafirmando sua verdade: “Eu sou”, mas em sua afirmação inclui o outro: “Aquele”. O poder da sua autoafirmação lhe permite a máxima identificação com o “outro”, a multiplicidade em um todo igual; observemos que tanto o “Eu” como o “Aquele” estão em maiúscula.

De um ponto vista subjetivo é curioso observar que a frase começa e acaba com o “Eu”, sendo este a expressão externa (personalidade), e o duplo “Aquele”, no interior da frase, como algo protegido e gerador de amor-sabedoria (alma).

Mas ainda podemos ir mais além, e pensar que o “Eu” é o pai (vontade), e o “Aquele” é o filho (personalidade purificada); espírito e matéria, unidos graças à qualidade (alma) do Leão.





Raios (I, II, VI, VII)

Leão traz em seu “ADN” o 1º raio, daí a sua poderosa capacidade de dirigir, regular (Regulus) e expressar.

Por outro lado, e segundo nos dizem os livros esotéricos, o nosso sistema solar é de 2º raio, daí que o Sol seja chamado o olho de Júpiter (o agente do 2º raio)

Para falar de forma clara e sintética dos raios que condicionam o sujeito de Leão, utilizaremos um texto do Mestre DK:

O homem perfeito de Leão, a alma autoconsciente e amorosa ( raio), leva seu poder de expressão (1º raio) diretamente do seu próprio plano ao plano da manifestação externa, mas conservando ao mesmo tempo o controle interno (Urano – raio) e, deste ponto de realização, converte seu objetivo ideal (Netuno – raio) em realidade em sua consciência, mediante a sensibilidade da vibração superior e o dirigido e inteligente serviço ao Plano. Reflitam sobre este resumo”

                                                                                                              Alice Bailey (AE)





 David C.M.   (email:  logos.astrologiaesoterica@gmail.com)

2 comentários: